Mais fofurices

Já faz uma penca de tempos que a Naya nos enviou novas ilustrações, mas na minha correria eterna, acabei deixando para depois, depois, depois e… Bem, o resto da história todo mundo já sabe. >.<

Bom, vamos lá. São duas ilustrações da Zoreia que vos fala, isoladamente. Uma voando, voando…

Arwen_1

… e a outra é com os pequenos de estimação: Sil, o gato, e Galadriel, a corujona da família:

Arwen_2

E aqui, por último, um spoiler bem spoiler. Na verdade, nem é tão spoiler, já que nos finalmentes da fase anterior, lá pra 2007, isso já se delineava, mas enfim…

Arwen_Criss_flat

Como eu disse, fofurices a lot!

Daqui algum tempo teremos novas ilustrações, a Diva mor já está trabalhando nisso. :) E né, sempre temos novas dolls. rs

 

Aniversários em pencas

Porque esse pessoal aqui do Accio tem mania de fazer aniversário tudo amontoado! rs

Ontem, 26/06, foi o dia dos nossos queridos Diego (Seifer) e Thiago (Henry).

E hoje é o dia do meu big bro, o Daigo (Bill)!

É verdade que o Dih não escolheu até hoje uma data de aniversário para o pobre Seifer, e que o Thi deu outra data de níver ao Henry, mas deixa quieto! :P

Meninos, feliz aniversário! Tudo de mágico para vocês!

meninos_aniversariantes

 

E né, e não menos importante, ontem também foi o aniversário da Zoreinha! 8D Não da Dani, a mãe dela, mas da Zô mesmo. :) Festa para todos!

arwen_Quidditch_Pitch_by_Firewhisky_Black

Dia 12/05 deixei passar batido o aniversário da Fab… Mas né, depois faço um update aqui e insiro a dollzinha dela também, eis aqui uma dollzinha de happy birthday para ela!

Fabian_Ginny_Weasley_ver_2_by_moutarde

É isso aí! Espero que vocês tenham aproveitado muito o dia de vocês, curtido bastante e que tudo de bom aconteça pra vocês nesse novo ciclo. :D

Fofurice da semana

E eis que ontem recebi nossa segunda ilustração. <3

É, segunda sim. Temos a primeira, mas essa vai demorar um pouquinho até ser publicada por aqui. rs

marotas_ilustracao_1Gente, é muita fofice para esse coraçãozinho maroto!!!

A nossa ilustradora é a super diva Naya Bringuer. A idéia é colocarmos várias aqui. Vamos ver se damos conta. xD

Off topic: Ok, ok, esqueci de escrever com a Dani o post dessa semana. E eu bem queria aproveitar a folga dela dos polímeros e traduções de patente! xD Mas ok, tentarei resolver essa questão no mais tardar amanhã. Enquanto isso, curtam toda a divesa das rainhas da marotagem nessa ilustração mega gracinha!

Deconstruction

Continuação de Arrogance.

 

Alexis estava bastante irritada com a investida do amigo, porém mais irritada ainda por perceber que ele estava perdendo as estribeiras. Virou-se de costas para o sonserino e voltou a beliscar o seu pudim, fingindo que ele não estava por ali. Daryl, por sua vez, apesar de acostumado a levar dispensadas de algumas garotas, e ultimamente, várias de Alexis, perdeu a paciência de vez. Deu uma vislumbrada ao redor e reparou que praticamente o salão inteiro parara para ouvir a discussão mais acalorada. Aproveitando a deixa, decidiu sem pensar muito, colocar as coisas às claras ali mesmo, conforme a marota o havia desafiado.

– Sabe, não consigo entender o porquê de tanta manha! Nós dois sabemos que você está caidinha por mim, até o Storm já entendeu! – Ao ouvir seu nome, Chris levantou o rosto com uma expressão confusa, sem saber o que dizer, se é que deveria dizer algo. – Por que tanta pirraça? Pelos deuses, está pra existir menina mais teimosa que você, Alexis, parece um hipogrifo empacado!

Aquilo foi demais. Alexis, outrora uma menina de pele pálida, sentiu o sangue borbulhar e tingir as faces de vermelho. Sentia fumaça saindo-lhe pelas orelhas e as palavras lhe fugiram dos lábios. A escola inteira a encarava, mas a pior parte dos expectadores eram os sonserinos, que assistiam à cena com cara de nojo. Tudo o que ela conseguiu dizer e fazer dali por diante foi automático e impensado, como se espera de um grifinório nato sob pressão.

– Seu… seu… IDIOTA ATREVIDO!

E de repente, Daryl estava com o lindo rostinho coberto de pudim de baunilha, que escorria por sua pele, pingando e melando as vestes. Num ataque de fúria, a marota virou-lhe a sobremesa nas fuças sem pestanejar, e também sem pensar, levantou-se bruscamente da mesa da Grifinória, seguindo rumo a sua sala comunal em passos marcados, pisando alto como se estivesse marchando, as bochechas ainda muito rubras, resmungando e grunhindo.

– Que absurdo! Aquele parvo… e eu… blasfêmia! Nunca! Audacioso! Pavão convencido de uma figa! Trasgo de chocadeira! ARGH!

Daryl por sua vez, se afastou da mesa da Grifinória e seguiu para as masmorras enquanto limpava o rosto com a manga da camisa, também pisando alto, e sem falar com ninguém.

Arwen e Chris se entreolharam preocupados. De alguma forma, a marota sabia que o que o amigo sonserino dissera muito provavelmente fosse mesmo verdade, ainda que Alexis nunca tenha lhe dito coisa alguma a respeito. Mas ela tinha que admitir que dessa vez, ele pegara muito pesado com Irritadinha, e se ela estivesse certa em suas suspeitas, provavelmente Daryl deixara as coisas muito piores para ambos.

– A coisa hoje foi feia, não? – Chris comentou, finalizando com um assovio baixo.

– E põe feia nisso, mais feia que Filch dançando a conga. Vou tentar falar com Alexis. – Arwen se levantou, disposta a seguir a amiga, e Storm imitou o gesto. Ambos rumaram também aos galopes para sua sala comunal, na tentativa de acalmar a amiga zangada. Depois, num outro tempo, tentariam abordar Daryl, que no momento estava inacessível, enfurnado nas masmorras da Sonserina, provavelmente tão furioso quanto a grifinória irritada.

Delirious

O dia mal amanhecera e um sonserino acordara bastante animado após uma bela noite de sono tranqüilo e cheia de sonhos agradáveis. Depois de muito pensar nas últimas ocasiões que desfrutara da companhia arredia de Alexis e no episódio esquisito em que Arwen lhe diserra algumas coisas interessantes, ele não tinha dúvidas sobre os sentimentos dela em relação a ele. O garoto tentara todas as abordagens menos diretas possíveis, ao seu ver. Então, naquela manhã, ele se levantou resoluto: poria as cartas na mesa na primeira oportunidade. Se não houvesse a tal oportunidade, ele criaria uma. Não era possível que a grifinória marota ficasse a correr de seus encantos eternamente. Daryl planejou tudo maquiavelicamente em sua cabecinha enquanto se preparava para as aulas: assim que a encontrasse, ele a convidaria para um passeio e abordaria o assunto de forma bem direta. Infelizmente para ele, sua turma não partilharia nenhuma aula com a casa dos leões naquele dia, mas a hora do jantar era certeira. Só teria que esperar algumas horas e seu pequeno dilema sentimental estaria resolvido.

Assim, se sentindo bastante empolgado e convencido de que aquele seria o dia D, ele saiu de seu dormitório se pavoneando casa afora, rumo ao longo dia que o separava de seu intento. Logo mais à noite, a tigresa dos olhos de âmbar estaria nos seus braços, com toda certeza.

********

Depois de um dia cheio, Alexis e Arwen se dirigiram ao grande salão. As duas se acomodaram sem cerimônia alguma na mesa corvinal, uma de cada lado de Dani Lupin, que engolia, às pressas, o prato magro que preparara.

– Eita, come devagar senão você vai ter um treco, Lobinha! – Arwen disse, dando tapinhas amistosos nas costas da amiga lupina – Parece que vai tirar o Lupão da forca!

– Nhoitomcumphressa! – Dani tentou responder, mastigando rápido, com a boca cheia.

– Tradução: “eu sou um ovo verde pelado”… é, faz sentido. E um bom nome de banda! – Alexis se divertia tentando contar as garfadas rápidas da garota.

Mal acabara de resmungar qualquer coisa ininteligível para as amigas, e a pequena corvinal se levantou rapidamente, juntando seus pertences e engolindo já de pé, um último gole do seu suco de abóbora.

– Bom, preciso ir, meninas. Daqui a pouco começa a prova de seleção para monitor de poções. Vejo vocês mais tarde!

E a marota apressada saiu às carreiras da mesa, deixando as amigas grifinórias para trás. Sem ter mais o que fazer na mesa dos corvos, mas não sem Arwen dar uma espiada a procura de corvinais cabeludos amigos (e não encontrando o que procurava), as duas meninas voltaram com o rabo entre as pernas para sua mesa de origem, encontrando Chris Storm já no segundo prato do jantar. Elas se acomodaram e começaram a se servir.

– Mas vou te falar uma coisa, só a Lobinha para inventar essa de monitoria de Poções. – Arwen resmungou enquanto mastigava um pedaço de batata – Que idéia, já não basta passar todas as horas obrigatórias da semana com o morcegão e ainda quer encarar o emprego de capacho dele!

– E sabe o que mais? A gente conhece a cabeçuda, a danada é inteligente pra caramba, óbvio que ela vai conseguir essa vaga. E aí, preparem-se para a encrenca, marotada, Snape nunca mais vai sair da nossa cola! – Alexis concluiu sabiamente.

Continua…